Início Jornalismo Político O perfil dos indignados

O perfil dos indignados

558
0
COMPARTILHAR
Pocket

Adultos de mais de 40 anos; alta escolaridade e renda elevada; indignados com a corrupção no Brasil; e têm a internet como principal fonte de informação. Estes são alguns dos resultados obtidos em um survey aplicado em Belo Horizonte, pelo grupo Opinião Pública (UFMG), durante a manifestação do último dia 12 de abril. A principal questão levantada pelos manifestantes diz respeito à corrupção e grande parte intitula o governo Lula e Dilma como os mais corruptos (1º lugar Lula, seguido de Dilma). Seguindo este caminho e concordando com a literatura que trata da percepção da corrupção aliada à econômica (MELGAR, ROSSI, SMITH, 2010; CUNHA, 2014), a maioria dos entrevistados também está insatisfeita com a sua situação econômica e do país.

Também vale destacar o perfil conservador. Grande parte dos entrevistados se auto localiza como centro e direta na escala ideológica. Se mostram descontentes com o governo Dilma (86,6% classificam o governo como péssimo) e grande parte declarou ter votado em Aécio Neves (PSDB) em 2014. Quanto às propostas para a situação atual do país, acreditam que o melhor seria a renúncia da presidenta, um processo de impeachment e a intervenção militar. Menciona-se, ainda, o posicionamento frente a algumas questões polêmicas como: 1) “O Brasil deve adotar a pena de morte (46,6% favorável e 49,7% contra); 2) “A maioridade penal deve ser reduzida” (81,5% favorável e 15,7% contra); 3) “O aborto deve ser legalizado no país” (45,7% favorável e 48,6% contra); e 4) “O consumo da maconha deve ser liberado” (35% favorável e 56% contra).

A pesquisa está disponível no link.

METODOLOGIA DA PESQUISA

Modalidade: Pesquisa quantitativa com aplicação de questionário estruturado em questões fechadas e abertas, realizada presencialmente (face to face), com duração média de 15 minutos.

Universo pesquisado: Estimado entre 5 a 7 mil pessoas presentes na manifestação ocorrida no dia 12 de abril de 2015 em Belo Horizonte.

Amostra: 352 entrevistas.

Margem de erro estimada: 4,8 pp.

 

Referências

CUNHA, I. Opinião pública e cobertura jornalística da corrupção política em Portugal. In: Cunha, I. F.; Serrano, E. A cobertura jornalística da corrupção política: sistemas políticos, sistemas midiáticos e enquadramentos legais. Lisboa: Alètheia Editores, 2014.

MELGAR, N.; ROSSI, M.; SMITH, T. The perception of corruption. InternationalJournal of Public Opinion Research, v.22, n.1, p. 120-131, 2010.

PESQUISA: Perfil ideológico e atitudes políticas dos manifestantes de 12 de abril – Belo Horizonte, 2015. Prof. Dra. Helcimara Telles (DCP/UFMG), Prof. Dra. Regina Helena Alves (História, UFMG) e Ms.Fernando Vaz.

 

pesquisa12abril

 

 

 

Érica Anita
Érica Anita Baptista é jornalista e Mestre em Comunicação Social - Interações Midiáticas - pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Atualmente, é doutoranda em Ciência Política na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisadora do Grupo “Opinião Pública, Marketing Político e Comportamento Eleitoral”, sediado na mesma instituição. É, também, pesquisadora no Centro de Investigação Media e Jornalismo, com sede na Universidade Nova de Lisboa. Paixões são muitas: Metallica, Pearl Jam, animais, filmes de terror... No futebol, o coração é Atleticano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here