Sem Serra e sem Aécio

O PSDB vem preparando inserções partidárias a serem veiculadas, em novembro, em cadeia nacional de rádio e TV. A equipe do partido está preparando cerca de 35 peças, com a finalidade de reforçar os programas da legenda, as realizações nacionais e estaduais, e reafirmar figuras importantes, como a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Mas a novidade desses filmetes é a ausência de José Serra e Aécio Neves. A escolha do partido por não os inserir partiu da repercussão do último programa do PSDB, veiculado em 13 de outubro, quando os dois tucanos dividiram espaço e acabaram, segundo rumores, se desentendido. A situação teria surtido um efeito contrário aos almejado pelo partido. Se por um lado era a oportunidade de os dois políticos se credenciarem a futuras indicações do partido para 2014 contribuindo para a divulgação da imagem pública do PSDB, por outro lado o que chegou ao público foi mais um cenário de uma desgastante disputa interna.

Dessa vez, a disputa entre Serra e Aécio começou ainda mais cedo e vem preocupando o partido. A legenda, que vem de uma sequência de derrotas presidenciais, certamente está pensando em uma reestruturação interna e, principalmente, em termos de campanha. Assim, uma disputa personalista não tende a contribuir com a situação.

Aécio e Serra - imagens do vídeo do dia 13 de outubro

Importante destacar a opção do PSDB em divulgar as ações do partido na esfera estadual em suas próximas peças. Obviamente, a ideia não partiu do acaso, mas sim foi fruto de uma pesquisa de opinião encomendada pelo partido para avaliar os efeitos de suas ações de marketing. E o resultado mostrou que os eleitores têm pouco conhecimento da atuação e do comportamento do PSDB em âmbito estadual. Assim, a legenda optou por reforçar a sua imagem nos Estados. É interessante notar que, em termos de imagem pública política, Aécio será beneficiado com essa estratégia, na medida em que a avaliação de seu governo em Minas Gerais foi positiva.

O resultado da pesquisa explica, ainda, a opção em reforçar a imagem de Fernando Henrique e das realizações do partido, já que os eleitores entrevistados demonstraram ter pouco conhecimento sobre o que foi feito durante o governo FHC.

 

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.imakay.org/compol/wp-content/uploads/EricaAnita21.jpg[/author_image] [author_info]Érica Anita é Mestre em Comunicação Social – Interações Midiáticas – pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Atualmente, é pesquisadora do Grupo “Opinião Pública, Marketing Político e Comportamento Eleitoral”, sediado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).[/author_info] [/author]