Plano “B”

* Diógenes (Didi) Pasqualini
Passadas as eleições municipais em todo País os lideres políticos e de partidos vivem momento análise para posterior planejamento aos próximos anos. Os que conseguiram eleger grande número de prefeitos e vereadores começam a pensar no marketing de governo e os que não chegaram ao número de eleitos que projetaram precisam pensar na remodelação, em estratégias que possam atrair o eleitor. O marketing para ambos os casos é muito importante, pois é hora de acionar o “Plano B”, e assim repensar tudo o que foi planejado e discutido com os eleitos, não eleitos, líderes, colaboradores, vereadores, filiados etc.
Aos eleitos em 2012 temos também duas situações que pedem análise. Os que foram reeleitos e os que começam agora o trabalho. No primeiro caso são mais quatro anos para colocar em prática o que foi planejado e avaliar em quais estágios se encontram as metas cumpridas e as que ficaram no papel. No segundo priorizar os projetos para os próximos quatro anos com olhos voltados para mais quatro. Em ambas as situações é importante pensar que muitas promessas que foram feitas durante a campanha não poderão ser cumpridas. Não custa compartilhar com a sociedade os motivos. Uma atitude como essa pode agregar valor à imagem do administrador.
Outro aspecto importante vincula a relação àqueles que venceram amparados ao excesso de críticas ao adversário que estava (ainda está) no cargo. Passado todo entusiasmo eleitoral é preciso ter clareza e tranquilidade para administrar e aceitar as comparações. É inegável que os futuros prefeitos eleitos que se enquadram nesta situação vão ter suas imagens desgastadas mais cedo em relação aos que comunicaram apenas seu plano de governo sem grandes choques. Aquele que disse que vai melhorar a saúde, por exemplo, porque quem ocupava o cargo era incompetente vai ter de fazer, não vai ser possível explicar dificuldades, procurar outros culpados, muito menos compartilhar desculpas. Eles terão dois “adversários”; o derrotado e a população que acreditou nas promessas.
Relacionamento talvez seja a palavra-chave para quem deseja fazer boa administração. O tripé poder legislativo, sociedade e marketing deve ser pensado com muita proficiência. Os vereadores cumprem papel interessante ao propor obras, leis e fiscalizar. Saber entender as críticas e choques entre poderes também favorece o exercício da superação, da criação e consequentemente na melhoria dos serviços prestados à população. A sociedade, representada principalmente por entidades organizadas, atuam como filtro de referência para o administrador. O marketing em seu universo conceitual ajuda não só a montar estratégias comunicativas, mas posicionar o administrador em ponto aonde a sociedade não venha a ter duplo entendimento de suas ações. Ele atua junto à elaboração de projetos, ao pesquisar e testar a sua viabilidade, a imagem da instituição, seus funcionários, zela pela marca política etc.
Para finalizar algumas constatações e análises que tenho feito há alguns anos e que gostaria de compartilhar. Os melhores governos são aqueles que superam grandes problemas e conseguem reconhecimento da população. Toda crise tem uma origem e não é sozinho que se consegue resolver, desta forma não é “o governo” e sim a prefeitura. Todos os funcionários são responsáveis pelo sucesso ou fracasso. Quatros anos passam depressa e é bem mais fácil e rápido antecipar-se aos problemas do que tentar resolvê-los quando eles estiverem instalados. Com a quantidade de informação circulando pelo mundo e acessível a todos, reconhecer um problema não é complicado, mas só quem tem projetos conseguem solucioná-los. E por fim todo marketing não é suficiente se o governante não souber gerir. Não é a comunicação que é falha e sim um conjunto de decisões administrativas. O que estrutura o sentido de um símbolo de governo é o amplo amparo das relações que envolvem projeto, interesse e comunicação.

*Diógenes (Didi) Pasqualini é Jornalista, Especialista em Marketing Político e Propaganda Eleitoral e Doutorando em Comunicação e Semiótica. E-mail: [email protected] Twitter: http://twitter.com/didibr. Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4484393Z8