A ICANN se abre mais para os países do sul

Durante a cerimonia de abertura do Fórum de Governança da Internet, em Bali, Indonésia, o CEO da ICANN, Fadi Chehadé, apresentou os recentes passos para tornar a organização mais internacional. Bastante criticado no longo dos anos por seu foco nos EUA, a ICANN abriu nesse ano sedes adicionais na Turquia e em Singapura, onde vai residir sua Diretoria de Políticas Globais (Head of Global Policy, Istanbul) e sua Diretoria de Tecnologia (Head of Technology, Singapura).

O Fadi Chehadé anunciou que também vai se mudar para Singapura e depois para a Turquia. Além disso a ICANN abriu novos escritórios (Engagement Centers) na China e no Uruguai e o primeiro Centro de Excelência para Segurança do Sistema de Nomes de Domínios na India.

Desde sua fundação em 1998 a ICANN estava (através de contratos) sob controle do Departamento de Comércio dos EUA. Com o Fadi Chehadé como CEO, a ICANN (agora com 15 anos de existência) começou a se abrir mais para outras regiões do mundo. O Chehadé é o quinto CEO da organização. Todos seus antecessores eram de países tecnologicamente desenvolvidos como a Austrália, os EUA e o Reino Unido. O Chehadé, que nasceu no Líbano e tem pais egípcios, está agora transferindo uma parte da controle global da internet para as regiões onde a maioria dos potenciais usuários da internet está vivendo: nos países do sul.