Twitter para o bem e para o mal

As expectativas para um uso mais aprimorado das potencialidades da internet para as eleições de 2012 são grandes. Talvez por se tratarem de eleições municipais, o marketing político online pode ser até mais trabalhado e mais efetivo. Vale lembrar que muitos estudos (veja a lista de trabalhos relacionados) já desmistificaram o mito Obama nas campanhas brasileiras – explicitando as diferenças culturais, políticas e contextuais – e destacaram a inviabilidade em implantar o modelo dessa campanha online, com todas as suas especificidades. No entanto, as características das campanhas online brasileiras vêm sendo delineadas e investigadas.

Recente pesquisa DataTempo aponta nomes de possíveis candidatos à prefeitura de Belo Horizonte e as intenções de voto.  O atual prefeito, Márcio Lacerda (PSB), lidera a pesquisa com 50,2% das intenções de voto, seguido pelo deputado federal Leonardo Quintão (PMDB), com 12,7%. Ambos disputaram a eleição municipal de 2008. À época, a internet funcionou como mais como um espaço de ataques, especialmente por meio da divulgação de vídeos.

Após o pleito de 2008, Leonardo Quintão inaugurou, entre outros espaços, seu perfil no Twitter (@LeonardoQuintao). Atualmente, o deputado atualiza com frequência o Twitter e possui 2.494 seguidores. Ou seja, ele é visto como pré-candidato e utiliza a internet para manutenção de sua imagem.

São recorrentes os protestos e mobilizações contra Márcio Lacerda nas redes sociais e existem muitos perfis dedicados a isso pedindo até sua saída: #foraLacerda (link). Recentemente, os vereadores de Belo Horizonte aprovaram um Projeto de Lei que aumentava em 61,8% o salário dos parlamentares, mas era estava pendente a aprovação do prefeito. Foi quando se espalhou pelas redes sociais o movimento #vetaLacerda (link). A participação dos internautas foi grande, no entanto não houve qualquer “resposta” por parte do prefeito nas redes sociais. Buscando por perfis e páginas oficiais nas redes sociais, o único registro encontrado era o perfil no Twitter @marciolacerda40, com a descrição: “Twitter oficial do prefeito de Belo Horizonte. www.marciolacerdabh.com.br”. Há poucos dias, a assessoria da prefeitura confirmou que o perfil não é oficial e que o prefeito não possui conta no Twitter.

O curioso, e para a sorte do prefeito, é que as postagens nessa suposta conta oficial não são de ataques, ao contrário, são mensagens positivas sobre o governo. O perfil ainda é mencionado por outras pessoas e por outras contas oficiais, como é o caso de um dos perfis do PSB (partido do prefeito), e há respostas a outras pessoas que acreditavam se tratar do prefeito Márcio Lacerda. No entanto, é uma conta de pouco mais de um ano, com pequeno número de seguidores e poucos tweets.

Mas é interessante notar que muitos pré-candidatos investem na utilização da internet, sejam aqueles menos conhecidos para construírem sua imagem, ou aqueles que estão em mandatos e precisam amenizar problemas, manter sua imagem e, mais ainda, estreitar o contato com o eleitor. Na contramão dessa tendência, o prefeito Márcio Lacerda mantém apenas um site e parece ignorar a importância crescente das redes sociais em contextos eleitorais, pois não houve a preocupação em buscar por possíveis contas falsas e comunicar sua existência ao eleitor.